Projetos


PROJETOS DE PESQUISA.

1. 2006 – Atual: Estudos Oitocentistas

http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=0067802VVXVZHQ

Descrição: O grupo de pesquisa “Estudos Oitocentistas”, criado em 2003, tem por objetivo refletir sobre a literatura produzida no século XIX, principalmente a dos países de língua portuguesa, seja trabalhando com essas literaturas de forma isolada, seja correlacionando-as entre si ou com outras literaturas nacionais. Os pesquisadores possuem vários artigos, capítulos de livros e outros ensaios que tratam, quer especificamente da literatura produzida ao longo do século XIX, quer das suas relações com a cultura de outros séculos, em especial o XX. O grupo vem atuando de forma articulada, sendo responsável por algumas atividades desenvolvidas em 2003, e por outras planejadas para este e os próximos anos. Em relação ao ensino, todos os pesquisadores atuam em Cursos de Graduação em Letras, contribuindo, decisivamente, para a formação de novos professores que atuarão no Ensino Médio, alguns cadastraram, nos cursos de pós-graduação em que atuam, disciplinas relacionadas com a literatura oitocentista. Além disso, vários docentes do grupo ministraram cursos de extensão no Brasil e no exterior. Quase todos os pesquisadores participaram do Encontro dos Professores Brasileiros de Literatura Portuguesa, momento em que o coordenador, em nome do grupo e de docentes da instituição em que atua, e com o apoio do Centro de Estudos Portugueses da USP, manifestou interesse de organizar o encontro nacional que ocorrerá em 2007, além de realizar, em 2005, o I Encontro Paulista de Professores de Literatura Portuguesa, já em fase de organização. Para dar maior visibilidade aos trabalhos desenvolvidos pelo grupo, seus pesquisadores têm participado de congressos nacionais e internacionais. Preocupado em divulgar as pesquisas desenvolvidas para um público mais amplo (docentes do Ensino Fundamental e Médio, alunos de graduação e pós-graduação de outras instituições) membros do grupo têm organizado Seminários Acadêmicos na FFLCH, USP.

Docentes envolvidos: Antonio Augusto Nery e Patrícia da Silva Cardoso.

2. 2006 – Atual: Literatura, linguagem, cultura: trânsitos

Descrição: Este grupo reúne pesquisadores cujos interesses abrangem diferentes aspectos das relações entre séries literárias diversas, bem como entre estas e outras linguagens. Os pesquisadores envolvidos focalizam em particular algumas dimensões das dinâmicas estabelecidas entre a produção literária lusófona em suas diferentes séries culturais brasileira, portuguesa, africana, do Oriente e da Oceania assim como destas com variadas esferas da indústria cultural, como a produção fonográfica em especial no campo da canção popular urbana , a produção cinematográfica e o mercado editorial massivo em particular a literatura de entretenimento. Outras esferas dessas relações, entre literatura e televisão, literatura e redes digitais, por exemplo, podem vir a ser incorporadas ao quadro de preocupações do grupo oportunamente. Os diferentes trânsitos e transações envolvidos nessas relações são examinados pelos pesquisadores envolvidos sem ortodoxia metodológica, buscando contudo, salientar e esclarecer o impacto dos processos de (re)produção e circulação massiva de bens simbólicos sobre a fatura da produção literária. O grupo objetiva promover reuniões acadêmicas, debates e publicações que contribuam para o debate corrente em torno das questões focalizadas.

 Docentes envolvidos: Marcelo Corrêa Sandmann e Patrícia da Silva Cardoso.

 3. 2007 – Atual: A real loucura portuguesa em Oliveira Martins. Subsídios para a construção de um imaginário

Descrição: Este projeto propõe a investigação do modo como a loucura atribuída por Oliveira Martins a determinados personagens históricos é usada por esse autor para, a um só tempo, caracterizar e problematizar a história de Portugal e, por extensão, para construir uma auto-imagem coletiva, a ponto de constituir-se como matriz para uma significativa parcela do imaginário literário português do século XX. À medida que o projeto avança, vem-se ampliando o campo da reflexão sobre os processos envolvidos na construção da auto-imagem coletiva, integrando-se ao contexto português outros contextos a ele relacionados, como o brasileiro, o galego e o africano. Tal ampliação tem direcionado a pesquisa a uma reflexão acerca da identidade nas eras moderna e pós-moderna.

Docente envolvido: Patrícia da Silva Cardoso.

4. 2009 – Atual:  Entre a realidade e a imagem. Questões de representação

 Descrição: Partindo da afirmação de Paul Klee, a arte não reproduz o visível, torna visível , interessa a este projeto de pesquisa investigar o modo como o cinema e a literatura de ficção produzida a partir do século XIX transitam entre a ideia de que à arte cabe reproduzir uma determinada realidade objetivamente constituída defendida pelas correntes estéticas vinculadas ao realismo-naturalismo e a convicção, como a que se estampa na afirmação de Klee, de que seu papel é o de fundar o real.

 Docente envolvido: Patrícia da Silva Cardoso.

5. 2011 – Atual: Aspectos do anticlericalismo na Literatura Portuguesa do Século XIX

 Descrição: O principal objetivo do projeto é apresentar uma (re) leitura crítica de obras literárias produzidas em Portugal, no decorrer do século XIX, que marcadamente apresentam, direta ou indiretamente, um discurso anticlerical. Prevê-se, de saída, que o referido discurso se modificou e foi moldado, nesse espaço temporal, prolongando-se para além do contexto oitocentista, sendo verificado também em produções literárias posteriores. Espera-se problematizar algumas leituras críticas que consideraram tais obras como de menor qualidade estética e literária, ao compará-las  com outras ficções produzidas no período. Considera-se também a investigação do diálogo estabelecido entre esses textos e as literaturas de outros países, especialmente as literaturas produzidas em países de língua portuguesa.

Docente envolvido: Antonio Augusto Nery.

6. 2012 – Atual: Antologia da Poesia Portuguesa

Descrição: O presente projeto de pesquisa tem como objetivo estudar as antologias de poesia de língua portuguesa, com especial destaque às antologias que cobrem a produção mais recente, a partir das seguintes indagações: que critérios, explícitos ou implícitos, norteiam as escolhas feitas por seus organizadores? Quem são estes, afinal, e o que lhes confere autoridade? Há poetas e textos recorrentes? É possível perceber a que linhas de força da poesia dão continuidade e/ou se contrapõem?

 Docente envolvido: Marcelo Corrêa Sandmann.

 7.2012 – Atual:  Diálogos com a Literatura Portuguesa

http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=0103802ELV7GOX

Descrição: Como protagonista da chamada expansão ultramarina, uma experiência crucial para o estabelecimento das linhas de força a partir das quais, à volta do século XVI, organizou-se a modernidade, Portugal constitui uma importante referência quando o interesse recai sobre a compreensão do eixo tradição-transformação para o estabelecimento do que ficou conhecido por experiência moderna. Afinal, muito cedo na história, grupos expressivos de portugueses experimentaram intensamente a diversidade de paisagens e de culturas, fato que com certeza contribuiu para a constituição de um imaginário literário no qual a noção de identidade, individual e coletivamente falando, tornou-se uma constante. Os deslocamentos geográficos redundaram em deslocamentos em direção ao outro – africano, americano, asiático – aproximações que, por sua vez, implicaram em revisitações e transfigurações do próprio eu, ou seja, da auto-imagem, da ideia de identidade, que a si associavam os portugueses. Além da sedimentação de noções como centro/periferia, metrópole/colônia, tal processo, aliado às Revoluções e inúmeros acontecimentos históricos ocorridos no próprio país ou em outras partes da Europa, propiciou também revisões na maneira com que até então a História, a Cultura, a Religião, entre outros fatos sociais, haviam sido concebidos e incorporados pelos portugueses. A este grupo de pesquisa interessa discutir as especificidades e particularidades dessa problemática, em um constante esforço de compreensão do lugar ocupado pela Literatura Portuguesa no já referido eixo tradição-transformação e, de maneira ampla, na grande experiência moderna. Prevê-se também a investigação dos diálogos estabelecidos entre a Literatura Portuguesa e outras Literaturas, especialmente outras literaturas lusófonas, no que concerne à representação do imaginário tradição-modernidade tendo-se Portugal como referência.

Docentes envolvidos: Antonio Augusto Nery, Marcelo Corrêa Sandmann e Patrícia da Silva Cardoso.

 8. 2012 – Atual:  Eu próprio-o outro: a inscrição de Portugal na modernidade através da literatura de Almada Negreiros, Mário de Sá-Carneiro e Fernando Pessoa

 Descrição: No âmbito dos estudos acerca da literatura portuguesa é comum observar-se, como linha de análise e reflexão crítica, a tendência em criar-se um vínculo entre a produção literária e uma preocupação com o estabelecimento de um perfil identitário. Assumindo a importância de tal pulsão literária, Eduardo Lourenço considera o modernismo português, principalmente no que diz respeito à participação de Fernando Pessoa no movimento, como resultado de uma dupla experiência, fruto não apenas do desejo de ser invenção e recriação de uma nova sensibilidade e visão da realidade (aquela que o chamado mundo moderno estava pedindo), mas igualmente uma metamorfose total da imagem, ser e destino de Portugal. É para esse aspecto que se dirigirá nossa atenção. Sem desconsiderar-se aquela dupla causa, a proposta desta pesquisa será a de deslocar o foco da atenção de forma que se possa pensar de maneira mais orgânica o lugar ocupado por Pessoa, Almada Negreiros e Mário de Sá- Carneiro como expoentes de um amplo movimento artístico que toma conta da Europa a partir de meados do século XIX e cujos protagonistas têm, como afirma Peter Gay, como sua segunda característica principal, depois do gosto pela heresia, o compromisso com o exame cerrado de si mesmos por princípio.

Docentes envolvidos: Patrícia da Silva Cardoso.