Histórico


O Centro de Estudos Portugueses foi criado em 30 de setembro de 1954, em sessão do Conselho Diretor do Instituto de Pesquisas da Faculdade de Filosofia da Universidade Federal do Paraná. Na Portaria nº 613, assinada pelo reitor e publicada em 06 de outubro daquele mesmo ano, registrava-se a resolução de “criar (…) um centro de estudo especializado em investigações nos diferentes setores da cultura portuguesa, que tenham particularmente significado para o conhecimento das raízes da cultura brasileira”. Em 30 de novembro, tomava posse o primeiro Conselho Administrativo do CEP, formado pelos professores Brasil Pinheiro Machado (diretor), José Loureiro Fernandes (1º secretário), Homero Batista de Barros, David Carneiro e João Remy Freire.

Em 1967, o CEP seria reorganizado, passando a funcionar no âmbito da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras da Universidade Federal do Paraná. Em 1972, com a Reforma Universitária, iria provisoriamente subordinar-se a diferentes instâncias, definindo-se, finalmente, como “órgão vinculado” ao Setor de Ciências Humanas, Letras e Artes, em 09 de maio de 1975, com a aprovação do primeiro regimento desse Setor.

Sua primeira sede própria seria estabelecida em 1967, no Círculo de Estudos Bandeirantes, na Rua XV nº 1015, onde permaneceria até o ano de 1971. A partir de então, voltaria a ocupar espaços dentro da UFPR, sobretudo no 11º andar do Ed. D. Pedro I, Rua General Carneiro nº 460, no complexo da Reitoria. Em 1980, iria fixar-se no local em que se encontra até o momento, a atual sala 1108 do mesmo edifício.

A partir de sua reorganização, em 1967, o CEP seria dirigido pelo professor José Loureiro Fernandes, um dos idealizadores e membro integrante desde os seus primeiros dias. Em 1970, redigia-se e aprovava-se o seu Regimento Interno. Entre 1970 e 1975, a direção estaria a cargo da professora Cecília Teixeira de Oliveira Zokner, que seria sucedida pelas professoras Cleusa César de Paulo, Juril do Nascimento Campelo e Anamaria Filizola.

Em maio de 1970, é criado o grupo de teatro Gil Vicente, que funcionará até meados da década de 1980, promovendo espetáculos teatrais a partir da obra do grande dramaturgo português, além de outros textos e autores. Ao longo desse mesmo período, o CEP faz publicar seus Arquivos (com artigos acadêmicos e outros documentos relativos às suas atividades) e um Boletim Informativo mensal. Manterá ainda programa sobre cultura portuguesa na Rádio Estadual do Paraná e uma coluna dominical nos jornais Gazeta do Povo e Estado do Paraná.

Desde fins da década de 1980, o CEP deixa de ser dirigido por um professor em exclusivo, para ser gerido por um Conselho Administrativo formado pelos professores que integram a Área de Literatura Portuguesa do Departamento de Linguística, Letras Clássicas e Vernáculas. Atualmente, estes professores são, em ordem de admissão na casa, Marcelo Corrêa Sandmann, Patrícia da Silva Cardoso e Antonio Augusto Nery.

Além de projetos de pesquisa, atividades de orientação acadêmica voltadas para a literatura e a cultura lusófonas (em nível de Graduação e Pós-Graduação) e participação em congressos, os professores vêm promovendo regularmente encontros com estudiosos e escritores, entre os quais se pode destacar o XIX Congresso Internacional da Associação Brasileira de Professores de Literatura Portuguesa (ABRAPLIP), em 2003, que teve como tema “Imaginário, o não-espaço do real”; e o Colóquio “O Tempo de Camilo”, em 2012, com a publicação de um dossiê, nos dois números da Revista Letras UFPR de 2013, com os textos apresentados na ocasião. Os três professores integram, ainda, o grupo de pesquisa “Diálogos com a Literatura Portuguesa”, registrado no ano de 2012 no CNPQ.